Milhares de pessoas protestam contra violência no México

Vestidos de branco, manifestantes caminharam em 71 cidades mexicanas e outras de todo o mundo

Associated Press, Agência Estado

30 de agosto de 2008 | 20h37

O Presidente do México, Felipe Calderon, enfrentou neste sábado um dos maiores desafios de sua administração. Milhares de pessoas saíram às ruas em todo o país em protesto contra o aumento da violência no México. Mais de 13 grupos que lutam contra a violência conclamaram milhares de pessoas a se juntarem à marcha em todas os 32 Estados mexicanos, em cerca de 70 cidades. Vestidos de branco, as pessoas andaram em silêncio e carregando velas. Foto: Eduardo Verdugo/AP Calderon alimentou as esperanças da população com promessas de tornar o combate ao crime uma prioridade de governo, logo depois de tomar posse em 2006. Apesar de suas promessas e deliberações para combater o crime e o tráfico de drogas, os organizadores da marcha afirmam que nada mudou. Os homicídios aumentaram com as brigas pelo controle do tráfico de drogas. Só no Estado de Chihuahua mais de 800 pessoas morreram este ano, o dobro do registrado no mesmo período do ano passado. Em resposta à cobrança de sua promessa de combater o crime, Calderon convocou os governadores e prefeitos para um encontro nacional para discutir planos de defesa. Isso inclui o projeto de um recrutamento policial mais adequado, assim como estratégias contra seqüestros.   Além disso, o Departamento de Defesa prometeu equipar a polícia com armas mais potentes. "Esse é um câncer que vamos erradicar", prometeu Calderon durante uma entrevista na última segunda-feira. Ele também pediu paciência ao dizer que conter o tráfico de drogas e devolver a segurança às ruas não é uma questão de decreto.   Mais de 3,5 mil policiais fizeram a segurança dos cidadãos que caminharam por 5desde o Monumento do Anjo da Independência até o Zócalo, a maior praça do país. Os organizadores da caminhada disseram que entregaram ao presidente mexicano um documento com 10 propostas cidadãs para acabar com a insegurança. A manifestação também ocorreu em cidades fora do México, como Houston e Chicago, nos Estados Unidos; Madri, na Espanha; Tel Aviv, em Israel; Londres; na Inglaterra; e Varsóvia, na Polônia.   (Com Agência Efe)

Tudo o que sabemos sobre:
protestogovernoMéxico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.