Milhares de sul-africanos velam corpo de Nelson Mandela em Pretória

Exposição pública ocorre onde Madiba fez seu célebre discurso de posse, em 1994

ANDREI NETTO - ENVIADO ESPECIAL / PRETÓRIA,

11 de dezembro de 2013 | 11h42

 PRETÓRIA - As cerimônias de despedida do líder negro e ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, entraram hoje em seu terceiro dia, marcado pela primeira exposição pública do corpo à população do país. O evento começou hoje no Union Buildings, sede do governo em Pretória - o mesmo local em que Mandela realizou seu célebre discurso de posse em 1994.

Veja também: 
link Sintonia entre Obama e premiê dinamarquesa causa mal-estar 
link Missa que exaltou caráter conciliador de Mandela aproxima EUA e Cuba 
link Adriana Carranca: o último desejo de Mandela 
link Bastidores: no voo presidencial, 8 horas de conversa 
link Artigo: Nelson Mandela, comunista 

O evento de hoje tem um perfil diferente do realizado na terça, quando mais de 90 chefes de Estado e de governo compareceram ao estádio de Soccer City, em Johannesburgo, para prestar homenagem ao líder que acabou com o apartheid, o regime de segregação racial na África do Sul.   A principal diferença é que, em Pretória, o evento tem um caráter mais popular, de despedida e velório, do que de tributo político sem o corpo presente, como aconteceu no estádio.

Desde as primeiras horas da manhã, uma multidão de sul-africanos se concentrou em frente aos portões do Union Buildings para esperar o início da visitação. As filas se estendiam por centenas de metros no início da tarde, quando a reportagem do Estado ingressou na área montada a céu aberto, sob um toldo, no Anfiteatro Nelson Mandela - recém nomeado pelo presidente Jacob Zuma em homenagem ao líder morto na quinta-feira.

Em razão do grande fluxo de admiradores, a passagem ao lado do caixão com corpo não dura mais do que alguns segundos. Madiba tem a parte superior do corpo exposta, mas protegida por uma tampa acrílica ou plástica translúcida. Ele foi vestido com uma camisa estampada,  como as que usava em vida, em marrom predominante sobre tons de laranja e dourado.

Apesar do pouco tempo junto ao ídolo, os sul-africanos que já prestaram sua homenagem a Mandela se mostraram satisfeitos, apesar da fila e do sol forte. "É muito tocante vê-lo pela última vez", disse o estudante Sandile Mbatha, 33 anos. "Foi um grande homem, que agora merece descansar em paz."

 

O primeiro dia do velório de Nelson Mandela começou com a chegada do caixão com o corpo do líder anti-apartheid ao Union Buldings, envolto numa bandeira do país. A primeira parte da cerimônia foi destinada a familiares, membros do governo e amigos do ex-presidente.

Entre os presentes ao velório estão a viúva de Mandela, Graça Machel, a ex-mulher Winnie Mandela, o presidente Jacob Zuma, além do ex-presidente Frederik De Klerk, que dividiu com Mandela o Prêmio Nobel da Paz por ter colocado fim ao regime de apartheid, o cantor Bono e o presidente do Zimbábue, Robert Mugabe.

Tudo o que sabemos sobre:
Nelson MandelaÁfrica do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.