Milhares deixam sul do Afeganistão antes de megaoperação contra Talebã

Ofensiva na província de Helmand deve ser uma das maiores desde o início da guerra, em 2001.

BBC Brasil, BBC

08 de fevereiro de 2010 | 10h21

Milhares de moradores de vilarejos de uma área do sul do Afeganistão controlada pelo Talebã estão deixando suas casas em antecipação a uma grande operação militar contra o grupo liderada pela Otan.

A operação militar contra os insurgentes na cidade de Marja, na província de Helmand, é considerada uma das maiores desde o início da guerra no Afeganistão, em 2001.

A operação, batizada de Mushtarak (que significa 'juntos' no idioma local, pashtun), deve ser lançada nos próximos dias.

Segundo o general britânico responsável pelo comando da ofensiva, general Nick Carter, esta operação terá pela primeira vez as forças afegãs envolvidas no planejamento.

Segundo ele, isso foi possível graças à introdução nas forças afegãs de um grande número de homens treinados pela coalizão internacional.

No passado, segundo ele, operações do tipo contra o Talebã fracassaram por não haver um número de soldados locais suficientes para manter a segurança após a expulsão do Talebã.

O especialista em segurança da BBC Frank Gardner, que está no quartel-general da ofensiva, em Kandahar, diz que os comandantes têm consciência da reputação muitas vezes dúbia das forças afegãs e estão se preparando para monitorar seu desempenho durante a operação.

'Sinal forte'

A cidade de Marja é a maior do sul do país ainda sob o controle do Talebã.

O comandante da Otan no Afeganistão, general Stanley McChrystal, disse que a operação enviará "um sinal forte de que o governo afegão está expandindo seu controle da segurança".

A ofensiva em Helmand será a primeira grande ação militar no Afeganistão desde que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou o envio de mais 30 mil soldados americanos ao país.

O planejamento da operação começou há várias semanas, com helicópteros da Otan despejando folhetos sobre a região pedindo para que os moradores deixem a área.

Funcionários do governo local dizem que cerca de 35 mil moradores de Marja estariam deixando a cidade e se deslocando para outras partes da província.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.