Milhares fogem de incêndio na Grécia

Fogo ameaça áreas residenciais e confiança no governo conservador

REUTERS E AFP, O Estadao de S.Paulo

24 de agosto de 2009 | 00h00

Um incêndio florestal fora de controle ameaçava ontem diversas áreas residenciais de Atenas e arredores, o que obrigou milhares de pessoas a abandonarem suas casas às pressas. Propagado pelos fortes ventos, o fogo já atingiu uma área de aproximadamente 13 mil hectares na Grécia desde a noite de sexta-feira, destruindo zonas de florestas, plantações e algumas construções. "O fogo está furioso, reacende a toda hora pela constante mudança na direção do vento", disse o porta-voz do Corpo de Bombeiros, Giannis Kapakis, ao anunciar a paralisação do combate aéreo durante a noite de ontem. Em 48 horas, os bombeiros registraram 200 focos de incêndio. O combate ao fogo mobiliza 650 bombeiros e 500 soldados, 12 hidroaviões e oito helicópteros. A ajuda solicitada a outros países da União Europeia começa a chegar hoje: serão quatro hidroaviões da França, dois da Itália e mais um do Chipre.A eficiência das políticas governamentais para combater o fogo será crucial para o destino político da Grécia. O governo conservador do primeiro-ministro Costas Karamanlis, que tem maioria por apenas uma cadeira, pode enfrentar uma convocação de eleição antecipada em março. Em 2007, quando um incêndio de grandes proporções deixou 65 mortos e levou dez dias para ser controlado, Karamanlis foi muito criticado, sendo chamado pela mídia e por opositores de "incompetente".O primeiro-ministro convocou ontem uma reunião de emergência com seu gabinete. "Estamos enfrentando um grande desafio. O departamento de bombeiros está fazendo um esforço sobre-humano", afirmou à imprensa. Líderes da oposição, no entanto, já começaram os ataques ao premiê. "Ninguém aprendeu nada com os grandes incêndios de 2007", afirmou George Karatzaferis, líderes do partido LAOS, de extrema-direita. "Este é um grande desastre e a coordenação não melhorou."RETIRADANa província de Attica, o governo declarou estado de emergência. Os pacientes de um hospital infantil e de um asilo foram removidos para outros locais.Em Aghios Stefanos, subúrbio de Atenas, com a aproximação das chamas, as autoridades usaram megafones para pedir a todos os 20 mil residentes que deixassem o local. Alguns moradores da região ameaçada, porém, preferiram ficar e tentar salvar suas casas com mangueiras de jardim e galhos. "Lutamos contra o fogo e salvamos nossa casa", disse um morador em entrevista à rede de TV Net. A previsão meteorológica indica que os ventos devem permanecer fortes pelo menos até a noite de hoje. Incêndios de verão são comuns na Grécia, quando o tempo fica muito quente e seco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.