Milhares observam eclipse solar na África e Ásia

Milhares de pessoas na África e na Ásia observaram hoje um eclipse no qual a Lua cruzou o caminho do Sol, deixando apenas uma pequena faixa de luz. A observação do eclipse anular do Sol começou na África, onde passou pelo Chade, República Democrática do Congo, Quênia e Somália antes de cruzar o Oceano Índico e atingir seu apogeu, segundo afirmou a Agência Espacial Americana (Nasa).

AE-AP, Agencia Estado

15 de janeiro de 2010 | 16h10

O eclipse continuou a ser observado na Ásia, onde pôde ser visto nas Maldivas, sul da Índia, partes do Sri Lanka, Mianmar e China. Nuvens atrapalharam a visão do eclipse na capital do Quênia, Nairóbi, frustrando moradores que acordaram cedo para observar o fenômeno.

O eclipse é chamado de anular porque a Lua não bloqueia o Sol completamente. Eclipses anulares do Sol, que são considerados menos importantes para os astrônomos do que eclipses totais do Sol, ocorrem cerca de 66 vezes por século e podem ser observados apenas por um pessoas numa pequena faixa ao longo de seu caminho.

Em Uganda, os moradores se referem ao eclipse como uma guerra ente o Sol e a Lua. O eclipse desta sexta-feira foi visível de uma faixa de 300 quilômetros que passou por metade do globo, segundo informações do site da Nasa.

O último eclipse total do Sol aconteceu em 22 de julho de 2009 e foi visível na Índia, Nepal, Bangladesh, Butão, Mianmar, China e em algumas ilhas japonesas.

Tudo o que sabemos sobre:
eclipseÁfricaÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.