Milhares pedem o fim da ocupação do Iraque em Londres

Mais de 10 mil pessoas saíram às ruas neste sábado em Londres para protestar contra a presença anglo-americana no Iraque. Com palavras de ordem como ?Bush e Blair têm que ir embora? e ?Guerra no Iraque - Ilegal, Imoral e Ilógica?, os manifestantes saíram do Hyde Park em direção a Trafalgar Square batendo tambores e gritando. É o primeiro grande ato público no país contra a invasão do Iraque depois que Saddam Hussein foi deposto. O presidente dos Estados Unidos George W. Bush e o premier britânico Tony Blair foram, sem surpresa, os mais criticados pela manifestação. A suposta ameaça de ataques surpresa com armas químicas e biológicas, pretexto para a guerra que não se verificou real até o momento, também foi lembrado pelos londrinos. Um líder da oposição à guerra na Inglaterra afirmou que os protestos vêm em boa hora especialmente porque a Grã-Bretanha vive uma crise de credibilidade por ver contestada sua afirmação de que o Iraque de Saddam poderia lançar um ataque com armas biológicas em 45 minutos. Depois do caso David Kelly, o especialista em armas proibidas que disse à BBC que o governo havia inflado as acusações contra o Iraque e que depois apareceu morto, o gabinete de Tony Blair se viu obrigado a reafirmar que o dossiê sobre armas iraquianas não era falso e nem inflado. Mas não conseguiu provas, já que até agora não foram encontradas as armas de destruição em massa que justificaram a guerra.

Agencia Estado,

27 Setembro 2003 | 10h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.