Milhares protestam contra Berlusconi em Roma

Milhares de pessoas, entre elas jornalistas e ativistas de meios de comunicação, se reuniram hoje em uma praça em Roma para protestar contra as medidas do primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi sobre a mídia. Segundo os organizadores do protesto, cerca de 300 mil pessoas estiveram presentes e algumas usavam uma camiseta na qual se lia "agora você pode me processar também".

AE-AP, Agencia Estado

03 de outubro de 2009 | 20h08

Berlusconi, uma magnata dos meios de informação, é acusado de tentar controlar um escândalo sexual relacionado a prostitutas convidadas à casa dele em Roma. Ele negou as acusações e chamou a manifestação de uma "farsa". Os protestos ocorrem dois dias depois de uma mulher envolvida no escândalo afirmar na televisão que ele sabia que ela era uma acompanhante.

Berlusconi é proprietário da maior cadeia privada de televisão do país. Como primeiro ministro, junto com a coalizão conservadora, exerce o controle indireto da estatal RAI. O primeiro ministro processou recentemente dois jornais de esquerda pela cobertura do escândalo sexual que afetou sua imagem duramente. Os jornais La Repubblica e L''Unita receberam multas que somam cerca de US$ 5,8 milhões. Ele está processando ainda jornais estrangeiros acerca do escândalo.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaBerlusconiprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.