Milhares protestam contra governante em Hong Kong

Milhares marcharam em Hong Kong no primeiro dia de 2013 para pedir que o líder, apoiado por Pequim, renuncie diante das alegações sobre renovações ilegais em sua mansão. Os manifestantes exigem democracia completa.

AE, Agência Estado

01 de janeiro de 2013 | 14h05

A polícia estima que 17 mil pessoas tenham protestado nesta terça-feira. Organizadores dizem que o número foi de 130 mil. Com faixas e gritos, a manifestação pedia que o dirigente Leung Chun-ying renuncie ao cargo.

O protesto ocorreu meio ano depois de o dirigente ser escolhido por um comitê e gira em torno de um escândalo sobre construção ilegal de estruturas em sua mansão.

Os pôsteres retratam Leung como vampiro e lobo. Os manifestantes usam o escândalo para pressionar pelo voto direto para eleger o líder de Hong Kong. É uma região com autonomia limitada, mas com garantias civis como a de manifestação, o que não ocorre em Pequim.

"Por não termos um governo democrático, grande parte das políticas introduzidas por este governo não reflete diretamente o interesse das pessoas", disse a porta-voz dos organizadores da manifestação a Frente dos Direitos Humanos e Civis, Jackie Hung. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Hong Kongprotestosrenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.