Milhares protestam contra guerra do Iraque nos EUA

Milhares de manifestantes protestaram neste sábado, 17, contra a guerra do Iraque, que completa quatro anos na terça-feira, e pelo menos três pessoas foram presas. Munidos com faixas e cartazes, os manifestantes refizeram o trajeto de uma grande marcha contra a Guerra do Vietnã realizada 40 anos atrás - partiram do Lincoln Memorial e foram até o estacionamento do Pentágono."Chega, chega de fascismo nos Estados Unidos", "O mundo inteiro está assistindo", "Impeachment para o presidente Bush", "Não invada o Irã" e "Traga nossos soldados para casa", gritavam os manifestantes. A maioria dos participantes era de jovens com o rosto coberto por bandanas, mas havia também muitos aposentados. "Estamos aqui por causa de nossos cinco filhos e seis netos - não queremos que eles vivam em um mundo como este", disse a aposentada Patricia Kuc, de 64 anos. Ela veio dirigindo duas horas e meia de New Jersey até Washington, com seu marido Joe, de 65 anos. "É o décimo protesto contra a guerra do Iraque em que participamos."O frio - a temperatura chegou a ficar abaixo de 0ºC - não desanimou os manifestantes , que trouxeram até bebês. O protesto foi pacífico, apesar de algumas discussões entre os manifestantes antiguerra do Iraque e algumas pessoas que fizeram uma manifestação em defesa dos militares.Houve um choque entre policiais e um grupo de cerca de cem manifestantes que tentaram se aproximar do prédio do Pentágono e bloquearam uma avenida. Os policiais, paramentados com capacete, escudos, máscaras antigás, e escudados por atiradores de elite estacionados em cima do prédio do Pentágono, ouviram todo tipo de xingamento.Alguns manifestantes se recusaram a deixar a avenida e a polícia acabou prendendo pelo menos 4 pessoas. "Infelizmente, acho que essa não será a última vez que vou participar de uma marcha contra a guerra no Iraque", disse o cientista Kevin Richter, de 40 anos, que trouxe um boneco do presidente Bush com chifres de diabo e roupa vermelha, que ele costurou em casa.Ônibus trazendo manifestantes do país inteiro chegaram na noite anterior e manifestantes fizeram uma vigília na Catedral Nacional de Washington. Alguns ativistas cristãos que rezavam na frente da Casa Branca e se recusaram a deixar o local foram presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.