Milhares protestam em Washington contra brutalidade policial

Várias manifestações ocorreram em todo o país após júris decidirem não indiciar os policiais envolvidos nas mortes de dois negros

AE, O Estado de S. Paulo

13 de dezembro de 2014 | 16h05

Mais de 10 mil manifestantes se reuniram em Washington neste sábado para protestar contra a morte de homens negros por policiais nos Estados Unidos.

Liderados por organizações de direitos civis, os manifestantes pretendem marchar até o Capitólio ao lado de parentes de Michael Brown e Eric Garner, que foram mortos por policiais brancos em incidentes em que não estavam armados. Os grupos pedem reformas nas leis após vários casos que eles classificam como de brutalidade policial.

Vários protestos - alguns deles violentos - ocorreram em todo o país após júris terem decidido não indiciar os policiais envolvidos nas mortes de Brown e Garner. Em vídeo divulgado na internet, Garner, 43, diz várias vezes que não consegue respirar, enquanto é imobilizado por um policial.

Após as mortes, aumentaram as discussões sobre a necessidade de melhor treinamento e uso de câmeras por policiais e de mudanças no processo de indiciamento para restaurar a confiança da população no sistema legal do país.

Terry Baisden, 52, de Baltimore, disse que espera mudanças e que o movimento não é apenas um episódio passageiro de raiva. Ela disse não ter participado de outras manifestações, mas se sentiu compelida neste caso porque "mudanças na forma de agir e mudanças de opinião só acontecem" com a participação de muitas pessoas. / DJN

Tudo o que sabemos sobre:
EUAViolênciaProtesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.