Milhares realizam protestos em 80 cidades espanholas

O Parlamento espanhol aprovou nesta quinta-feira cortes de 65 bilhões de euros a serem implementados no decorrer dos próximos dois anos e meio. Pouco depois da aprovação, milhares de pessoas tomaram as ruas de Madri e de dezenas de outras cidades em protesto contra o pacote.

AE, Agência Estado

19 de julho de 2012 | 17h15

O programa de austeridade aprovado pelos legisladores prevê cortes nos salários dos funcionários públicos e a elevação do imposto sobre valor agregado, entre diversas outras medidas. Trata-se do maior corte no orçamento desde o restabelecimento da democracia na Espanha, no fim da década de 1970.

Dos 312 votos contabilizados, 180 deputados votaram a favor, 131 contra. Houve uma abstenção. O primeiro-ministro Mariano Rajoy contou somente com os votos de seu Partido Popular, que dispõe de maioria no Parlamento, para aprovar as impopulares medidas de austeridade, informa o jornal El País.

Protestos contra os cortes de despesas governamentais têm ocorrido quase diariamente na Espanha. Segundo a agência de notícias Reuters, o Parlamento espanhol está praticamente cercado por manifestantes há pelo menos uma semana.

Hoje, milhares de pessoas saíram às ruas de Madri em protesto contra as medidas de austeridade aprovadas mais cedo pelo governo. Organizações sindicais convocaram manifestações em mais de 80 cidades espanholas, reunindo trabalhadores e artistas para ruidosos protestos contra o governo. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Espanhaprotestosausteridade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.