Milhares tentam sair de Acapulco após tempestade

Milhares de turistas exaustos, famintos e cada vez mais desanimados faziam fila no final da noite de terça-feira em uma estrada cheia de lama do lado de fora de uma base militar no México. Eles aguardavam uma oportunidade para serem retirados por ar da região de Acapulco, depois que a Tempestade Tropical Manuel atingiu a famosa área litorânea.

AE, Agência Estado

18 de setembro de 2013 | 10h10

Com as duas estradas para Cidade do México fechadas, pelo menos, 40 mil turistas viram um longo fim de semana de férias na praia se tornar uma luta desesperada para conseguir voltar para casa.

Duas das maiores companhias aéreas do México operavam dois voos por hora a partir do - ainda inundado - aeroporto internacional de Acapulco na terça-feira. As pessoas com passagens, idosos e famílias com crianças pequenas tinham prioridade.

Todos que não podiam esperar pela promessa do governo de reabrir as estradas dentro de dois dias se reuniram na frente da Base Aérea 7, a 20 minutos ao norte de Acapulco, onde uma ponte aérea militar composta de pouco mais de dez veículos aéreos transportava turistas para a Cidade do México. A instalação em frente à praia se transformou em uma cena de zona de conflito.

Famílias em shorts e sandálias esperavam até oito horas do lado de fora dos portões da base, onde se acotovelavam furiosamente para conseguir um dos 150 lugares no próximo voo do Boeing 727 da Força Aérea.

Autoridades militares disseram que apenas dois dos aviões de passageiros estavam em serviço, apesar de algumas centenas de pessoas terem conseguido assentos em um dos cinco helicópteros e sete aviões de carga. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
MéxicoAcapulco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.