Milhares vão às ruas das principais cidades bolivianas

Milhares de manifestantes contrários ao governo do presidente Gonzalo Sánchez de Lozada marcharam nesta quarta-feira pelas principais cidades da Bolívia, exigindo a renúncia do governante. Em La Paz, palco de dias seguidos de manifestações violentas, soldados assumiram posição para impor a ordem em meio ao tumulto causado pelos manifestantes, que isolaram a cidade com bloqueios rodoviários.Ao mesmo tempo, milhares foram à praça central de Cochabamba. ?Viva Bolívia!?, gritaram os manifestantes, que prometiam iniciar uma greve por tempo indeterminado contra o governo. Há notícias de que 1.000 mineradores marcham na direção da capital, La Paz, numa tentativa de se unirem aos milhares de índios, sindicalistas e camelôs que tomam as ruas da cidade.Noticiários locais da rádio Erbol e do canal privado de televisão TV 21 informam que os mineiros entraram em confronto com tropas do governo na cidade de Patacayama, a 100 km de La Paz. Segundo as notícias, os militares usaram gás lacrimogêneo e os mineradores reagiram com dinamite. Os protestos chegaram à cidade de Oururo e a Sucre, antiga capital colonial da Bolívia. Milhares de camponeses bloqueiam as quatro principais rodovias que levam a Sucre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.