Milícia captura funcionários da ONU na Costa do Marfim

Dois funcionários da Organização das Nações Unidas (ONU) foram sequestrados na Costa do Marfim por uma violenta milícia local associada ao presidente Laurent Gbagbo, segundo um relatório interno da entidade obtido pela Associated Press.

AE, Agência Estado

28 de fevereiro de 2011 | 17h39

De acordo com o documento da ONU, os dois funcionários foram capturados hoje pela milícia Jovens Patriotas e levados mais tarde a uma base da Guarda Republicana. Ambos os funcionários são de origem ucraniana e foram capturados em Port-Bouet, um bairro de Abidjã, a capital marfinense.

O grupo Jovens Patriotas é qualificado no documento da ONU como a milícia "mais perigosa" em atividade na capital da Costa do Marfim.

Os ataques a funcionários e soldados da ONU intensificaram-se a partir da derrota eleitoral de Gbagbo em 28 de novembro. Resultados certificados pela ONU e reconhecidos como legítimos pela comunidade internacional dão a vitória ao opositor Alassane Ouattara. Gbagbo ordenou a saída de todos os funcionários da ONU do país e seu governo vem incitando ataques a mantenedores de paz e outros agentes da organização.

Também hoje, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, acusou a Bielo-Rússia de ter violado um embargo internacional de armas ao enviar três helicópteros militares ao governo da Costa do Marfim. O país negou ter enviado as aeronaves. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Costa do MarfimmilíciaONUsequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.