Milícia diz ter autorizado ataque a oleoduto na Nigéria

O Movimento pela Emancipação do Delta do Níger (MEND, da sigla em inglês), uma das maiores milícias da Nigéria, afirmou ter autorizado um ataque realizado na sexta-feira a um oleoduto operado pela Chevron na região sul do país, mas negou a autoria do incidente.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

09 de janeiro de 2010 | 17h23

Um porta voz do grupo afirmou num e-mail que "combatentes do Delta do Níger realizaram o ataque ao duto de Makaraba da Chevron" com autorização do MEND, mas que o incidente não foi conduzido pela organização. No mesmo e-mail, o grupo afirma estar revisando o cessar-fogo anunciado em 9 de outubro do ano passado e diz que anunciará uma posição até 30 de janeiro.

O ataque ao oleoduto ocorreu a cerca de 100 quilômetros a sudoeste de Warri, uma das principais cidades do estado de Delta, situado no delta do rio Níger. Grupos armados vêm desde 2006 lançando ataques contra instalações petrolíferas na Nigéria, afetando a produção local e os preços internacionais do petróleo. Eles alegam que uma parcela maior da receita obtida com o petróleo deveria ser destinada às comunidades locais.

No auge do conflito, a Nigéria, o oitavo maior exportador do produto, teve sua produção reduzida em um terço. A produção do país, no entanto, voltou a crescer para cerca de 2 milhões de barris por dia recentemente, segundo estatísticas do governo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Nigériaoleodutoataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.