Milícia liberta 8 funcionários da Cruz Vermelha no Congo

Um funcionário local da Cruz Vermelha informou que oito de seus trabalhadores anteriormente sequestrados por uma milícia no leste do Congo foram libertados. Os sete congoleses e um suíço foram capturados por rebeldes Mai Mai há uma semana, perto da cidade de Fizi, na província de South Kivu.

AE-AP, Agência Estado

16 de abril de 2010 | 12h43

A Cruz Vermelha mantém vários escritórios na província, que, como boa parte do leste congolês, sofre com a violência desde o genocídio de 1994 na vizinha Ruanda, o qual levou conflitos para além da fronteira. A Cruz Vermelha informou que a missão do grupo sequestrado era proteger e auxiliar as vítimas da violência. A milícia Mai Mai é um dos vários grupos armados da área.

Tudo o que sabemos sobre:
CongomilíciaCruz vermelha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.