Milícia palestina diz que Gilad Shalit está bem

Os Comitês Populares da Resistência, um dostrês grupos responsáveis pelo seqüestro do soldado israelense GiladShalit, de 19 anos, em junho, revelaram que o militar está bem de saúde, masameaçaram prolongar durante anos seu rapto se suas exigências nãoforem cumpridas. Um porta-voz dos Comitês Populares da Resistência, apresentadocomo Abu Mujahid, afirmou nesta terça-feira na Cidade de Gaza que Shalit podepermanecer retido se Israel não libertar mil presos palestinos. "Gilad Shalit está bem de saúde e está sendo tratado seguindo atradição islâmica no que se refere aos prisioneiros de guerra",afirmou o porta-voz. Esta é a primeira vez que detalhes são revelados sobre a situação do militar israelense. O porta-voz ressaltou que o soldado israelense não foi submetidoa torturas, "como Israel faz com nossos prisioneiros". No entanto,afirmou que a organização "está preparada para retê-lo durante anosaté que as reivindicações sejam cumpridas". Os Comitês Populares da Resistência, uma milícia vinculada aogrupo islâmico Hamas e o Exército Islâmico assumiram a autoria doseqüestro do soldado em 25 junho, após lançar um ataque contra umabase militar israelense na fronteira com o sul da Faixa de Gaza. Abu Mujahid esclareceu que os esforços de mediação do Egito paraconseguir uma troca de prisioneiros fracassaram devido à negativa deIsrael de pôr em liberdade mil prisioneiros palestinos, incluindomulheres, menores de idade e doentes. "A oferta egípcia não estava muito longe das reivindicaçõesexpressadas pelas facções que retêm o soldado" israelense, declarouo porta-voz. Mujahid disse que "a ocupação (israelense) anula todos osesforos, inclusive os egípcios, para chegar a um acordo". Oporta-voz acrescentou que "Israel deseja obter informação gratuitade seu soldado sem pagar nenhum preço".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.