Reuters
Reuters

Milícia somali que atacou shopping ameaça Quênia com novos atentados

Tiroteios esporádicos ainda ocorrem em centro de compras de Nairóbi; três militares morreram

O Estado de S. Paulo,

24 Setembro 2013 | 10h48

NAIRÓBI  - Militantes do grupo radical islâmico somali Al-Shabab ameaçaram lançar novos ataques no Quênia se o país não retirar suas tropas da Somália imediatamente. O grupo é responsável pelo atentado ao shopping Westgate, em Nairóbi, que deixou 62 mortos no sábado, e segue com confrontos esporádicos entre terroristas e forças de segurança.

"Se não saírem da Somália, saibam que essa é apenas uma amostra do que vamos fazer... esperem dias negros", disse o porta-voz do grupo Ali Mohamud Rage.

Mais cedo, o Exército queniano confirmou a morte de três soldados em confronto com os radicais. Outros 11 estavam internados com ferimentos. "Esses atos covardes de terrorismo não minarão a determinação da KDF para garantir a paz e a estabilidade na Somália e a região", garantiu o Exército queniano em comunicado.

Novos disparos foram ouvidos nesta terça-feira no shopping, que a polícia queniana garante manter sob controle. Um rápido tiroteio aconteceu pela manhã, por volta de 6h30, no horário local (0h30 no horário de Brasília). Três horas depois ocorrência semelhante voltou a acontecer nas proximidades do shopping Westgate, que está cercado.

Até o momento não foram divulgados dados oficiais sobre as condições no local. Ontem, no fim da noite, a polícia não sabia precisar o número de reféns e de terroristas no interior do estabelecimento. / AP e EFE

 

Mais conteúdo sobre:
quêniaatentadoameaça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.