Milícia tribal seqüestra 25 estrangeiros no Congo

Tropas ugandesas lutaram hoje no leste da República Democrática do Congo contra uma milícia tribal que seqüestrou pelo menos 25 estrangeiros e exige a retirada das forças ruandesas, ugandesesas e burundinesas do país. A informação foi dada por líderes rebeldes e por um comerciante local que, por temer represálias, pediu para não ser identificado.Segundo o comerciante, o conflito ocorreu em uma área de floresta próxima à Mangina, uma cidade a cerca de 30 quilômetros da fronteira com Uganda. A fonte informou que uma milícia formada por homens da tribo mayi-mayi capturou 25 estrangeiros - 23 tailandeses (um supostamente com cidadania norte-americana), um sueco e um queniano.Uma estação de rádio operada por rebeldes que são apoiados por Ruanda, informou que líderes da milícia mayi-mayi assumiram a responsabilidade pelo "seqüestro de 20 e poucos ocidentais expatriados" e exigiram a retirada das tropas de Uganda, Ruanda e do Burundi do Congo.O seqüestro ocorreu na terça-feira e membros da Frente de Libertação Congolesa, apoiada por Uganda, tentaram negociar com os líderes da milícia, informou o comerciante. No entanto, hoje, cinco caminhões lotados com tropas ugandesas foram enviados à área de Mangina. De acordo com a fonte, era possível ouvir os tiros à distância.A empresa tailandesa Dara Forest extrai madeira em Mangina. Um funcionário da companhia em Kampala (Uganda), que pediu para não ser identificado, afirmou que não recebe sinal do escritório de Mangina desde segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.