Hasan Jamali/AP
Hasan Jamali/AP

Milícia xiita iemenita afirma ter derrubado avião da coalizão árabe

Rebeldes Houthis anunciaram em uma rádio oficial a queda do F-16 da Força Aérea do Marrocos; Riad envia tanques para a fronteira

O Estado de S. Paulo

11 de maio de 2015 | 10h41

SANAA - A milícia xiita Houthi afirmou nesta segunda-feira, 11, que derrubou um avião da coalizão árabe na província de Saada. O anúncio dos rebeldes foi feito após o governo do Marrocos confirmar que um de seus caças F-16 havia desaparecido após ser atingido nos combates.

Em curta mensagem emitida pela televisão Al-Masira, órgão de comunicação dos Houthis, o grupo insurgente disse que "suas forças antiaéreas abateram um avião modelo F-16". O incidente, o primeiro do tipo desde o início da ofensiva aérea da coalizão liderada por Riad em 26 de março, ocorreu no vale de Al-Nushur, em Saada, reduto do movimento xiita.


O avião foi supostamente derrubado na tarde de domingo e ainda não se sabe o paradeiro do piloto, afirmou o Exército do Marrocos em comunicado. O país divulgou poucos detalhes sobre sua participação na coalizão, mas há relatos de que teria disponibilizado seis caças para a operação.

Os Houthis aceitaram ontem uma proposta saudita de cessar-fogo humanitário de cinco dias, que deverá começar na terça-feira, mas acusaram a coalizão de dificultar a chegada de ajuda aos desabrigados no Iêmen. 

Ataques. Uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas nesta segunda em bombardeios contra a província de Nashrán, no sul da Arábia Saudita, perto da fronteira com o Iêmen, disse o porta-voz da Defesa Civil árabe, Ali al-Shahrani, de acordo com a agência de notícias estatal "Spa".

O porta-voz declarou que os bombardeios atingiram um colégio e uma casa, mas não detalhou a origem dos ataques, embora nos últimos dias vários bombardeios similares tenham sido realizados do lado iemenita da fronteira pelos rebeldes Houthis e seus aliados.

A vítima é um homem paquistanês e os feridos são de diferentes nacionalidades, entre eles uma criança saudita, segundo Al-Shahrani, que informou que foram adotadas todas as medidas de segurança necessárias.

No dia 6 de maio, 5 pessoas morreram, entre elas um sargento do exército saudita, e outras 12 foram feridas pelo impacto de dois mísseis lançados do território iemenita em Nashrán. 

Nesta segunda-feira, de acordo com a mídia Árabe, Riad enviou uma "força de ataque" a sua fronteira com o Iêmen, hora após forças do reino e os rebeldes xiitas terem trocado fogo pesado de artilharia. O canal de TV saudita Al-Arabiya Hadath exibiu imagens de uma coluna de tanques sendo transportada por caminhões militares, e as descreveu como "a chegada de reforços da força de ataque à fronteira". / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
IêmenHouthiscoalizão árabe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.