Milicianos de Gaza prometem vingar morte de comandante palestino

Milicianos da Faixa de Gaza prometeram vingar a morte do comandante Jamal abu Samhadana, morto na noite de quinta-feira em um ataque aéreo israelense contra uma base militar no sul do território palestino.Centenas de milicianos e milhares de habitantes do sul de Gaza se concentraram no hospital para onde foi levado o corpo do líder. Eles juraram vingar a morte de Abu Samhadana "com atentados suicidas e com todos os meios ao alcance".Abu Samhadana, de 45 anos, era comandante dos Comitês Populares de Resistência e há dois meses também o encarregado dos órgãos de segurança no Ministério do Interior palestino. Ele havia sido nomeado pelo primeiro-ministro palestino, Ismail Haniye, líder do movimento islâmico Hamas."Isto é um assassinato e os palestinos têm o direito de responder por todos os meios, porque Abu Samhadana pagou com sua vida a liberdade e a dignidade de seu povo", disse o porta-voz do Ministério do Interior, Khaled abu Hilal.O Exército israelense se negou a confirmar se a morte do dirigente, assim como a de outros três milicianos, foi parte de sua política de assassinatos seletivos de líderes da Intifada.A base atacada fica no que antigo assentamento judaico de Shlav, desocupado após a retirada israelense de Gaza. Na ANP, tanto o governo quanto a presidência condenaram o ataque e alertaram para "conseqüências imprevisíveis".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.