Milicianos desarmam-se no santuário; novo impasse em Najaf

Seguidores do líder xiita radical Muqtada al-Sadr removeram suas armas do interior do santuário do Imã Ali, em Najaf, mas continuam no controle do local, o mais sagrado do xiitismo. Combates entre os milicianos refugiados no santuário e arredores e tropas americanas vêm se desenrolando há duas semanas.Os combatentes das Brigadas Mahdi continuam dentro do santuário, mas deixam suas armas do lado de fora antes de entrar. Membros das Brigadas ainda circulam armados pelas ruas da Cidade Velha de Najaf. Al-Sadr comprometeu-se a entregar o santuário ao principal líder xiita do Irã, aiatolá Ali al-Husseini al-Sistani, mas as negociações sobre a forma da transferência continuam sem solução.Um assessor de Al-Sistani insiste que os seguidores de Al-Sadr deixem completamente o santuário antes que as autoridades religiosas aceitem receber as chaves, numa transferência simbólica de controle.?Se eles desejam abandonar o complexo do sagrado santuário e fechar as portas, então o escritório da autoridade religiosa na santa Najaf receberá as chaves?, disse o xeque Hamed Khafaf. ?Até o momento, isso não aconteceu?.Confusão foi criada quando um porta-voz do Ministério do Interior, Sabah Kadhim, disse que a polícia havia entrado no santuário e prendido 400 milicianos armados. No entanto, jornalistas que ficaram no local durante todo o dia não viram nenhum policial entrar e nenhuma prisão ocorrer.Veja o especial sobre Muqtada al-Sadr e saiba quem é o líder da rebelião xiita no Iraque

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.