Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Milicianos tomam armas de soldados no leste do Congo

Testemunhas afirmaram hoje que os soldados congoleses enfrentavam milicianos em território controlado pelos rebeldes. O confronto ocorria perto de Kanyabayonga, 130 quilômetros da capital provincial, Goma, no leste do Congo. Os milicianos Mai Mai são em geral pró-governo. Porém, aparentemente se aproveitavam da fuga do Exército para roubar armas de soldados. Os militares do país fogem, junto com milhares de civis, do avanço de rebeldes.Esse incidente sugere divisões ainda mais profundas dentro do já cindido Exército congolês. Os confrontos entre os rebeldes leais ao general renegado Laurent Nkunda e o Exército e suas milícias aliadas explodiram em agosto. A violência já forçou pelo menos 250 mil pessoas a fugirem de suas casas.Corte de Haia - Também hoje, a Corte Penal Internacional em Haia marcou para 26 de janeiro o início do julgamento do ex-senhor da guerra congolês Thomas Lubanga, acusado de usar crianças como soldados no leste do Congo, entre 2002 e 2003. Lubanga pode ser o primeiro réu julgado pelo primeiro tribunal permanente de crimes de guerra. A Corte Penal Internacional começou a funcionar em 2002.Os promotores envolvidos no caso concordaram em permitir que os juízes tivessem acesso a material confidencial recebido das Nações Unidas. Antes, os magistrados haviam considerado que Lubanga não teria um julgamento justo, pois as novas provas poderiam ajudar a defesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.