Milícias de Kadafi atacam jornalistas em Benghazi

Durante batalha na capital rebelde, carro abre fogo contra fotógrafos; repórteres mudam de hotel

Lourival Sant'Anna, enviado especial do 'Estado' à Líbia,

21 de março de 2011 | 13h47

BENGHAZI - Milicianos leais ao ditador líbio, Muamar Kadafi, atacaram jornalistas estrangeiros em Benghazi, na noite de domingo, 20. Um carro passou atirando contra dois fotógrafos que voltavam para o hotel no qual estavam hospedados na capital rebelde. Eles iam com uma escolta. O guarda não teve escolha a não ser jogar-se no chão também.

Veja também:

especialTwitter: Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia

blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

 

Em seguida francoatiradores abriram fogo de prédios próximos. Granadas explodiram perto dos fotógrafos - facilmente identificáveis pelo equipamento.

Os poucos jornalistas em Benghazi transferiram-se dos grandes hotéis para hotéis pequenos noutra região da cidade. Quando o confronto começou, todas as luzes do hotel no qual a reportagem do Estado está hospedada foram apagadas.

Os jornalistas trabalhavam juntos em uma sala na qual era possível ver a avenida onde acontecia o confronto. Primeiro as luzes da sala foram apagadas.

Os tiros e explosões se intensificaram, e os repórteres recuaram para um saguão interno.  No total, o confronto durou cerca de 2 horas. Alguns dos guardas do hotel juntaram-se aos combatentes rebeldes na luta contra os milicianos de Kadafi.

No momento há pelo menos seis jornalistas estrangeiros e seis líbios desaparecidos no país. Os estrangeiros são: três da France Presse e um da Getty Images, a 30 km de Tobruk; dois da Al-Jazira, que estavam no oeste do país. Quatro enviados do New York Times foram libertados hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.