Milionário diz que empréstimo a Sharon não foi político

Um milionário sul-africano que emprestou US$ 1,5 milhão ao primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, disse que o dinheiro não foi uma doação política, mas um esforço pessoal para ajudá-lo a tirar sua fazenda de dificuldades econômicas, informou o jornal Sunday Times, de Johannesburgo. "Faço o que quero com meu dinheiro. Ajudei um bom amigo, que me devolveu o que emprestei. Estou feliz por tê-lo feito", disse Cyril Kern em entrevista ao jornal. A imprensa israelense denunciou na semana passada que o dinheiro, entregue aos filhos de Sharon, Gilad e Omri, foi utilizado como garantia para um empréstimo com o qual eles repuseram dinheiro sujo arrecadado durante a campanha eleitoral de 1999. A justiça israelense está investigando a denúncia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.