Milionário usa 2 identidades para manter 2 famílias

Durante 30 anos, um milionário americano de 74 anos foi autor, na Flórida, de uma façanha que deixou pasmos seus parentes e amigos: sem que ninguém desconfiasse, ele levou uma vida dupla que incluiu duas mulheres, documentos de identidade, famílias e duas mansões separadas por apenas 30 quilômetros de distância. Até 1970 Douglas S. Cone, dono de uma empresa de construção de estradas em Tampa, levava uma vida confortável com sua esposa Jean Ann, então com 52 anos, e seus três filhos. Em meados da década, porém, numa de suas visitas ao escritório da empresa, o milionário, então com 41 anos, conheceu a secretária Hillary Carlson, de 18 anos, com quem começou o caso que mudaria sua vida. A partir de então, decidiu fazer de Hillary sua amante. Em seguida, comprou para ela uma mansão a 30 quilômetros de Tampa, onde passaria longas temporadas. Para não levantar suspeitas de Jean Ann, alegava ter de se ausentar por causa de viagens de negócios. O plano de manter os dois relacionamentos, porém, foi se tornando tão excitante quanto trabalhoso. A ponto de Douglas ter de tirar documentos falsos, com o nome de Donald Carlson, para os momentos em que passava ao lado de Hillary, com quem teve dois filhos. Durante 30 anos, Jean Ann e Hillary fizeram parte de mundos paralelos. O malabarismo de Donald chegava ao ponto de passar ileso ao fato de ambas fazerem parte dos conselhos de diretores das escolas onde os filhos estudavam. E nessas escolas há salões com seus nomes, construídos graças às generosas doações do marido. O vida dupla de Douglas só foi descoberta em março, depois que Jean Ann foi encontrada morta dentro de seu Rolls-Royce. A polícia chegou a investigar uma possível relação de Douglas com o caso, mas nada ficou provado. Duas semanas depois, o milionário anunciou seu casamento com Hillary, o que acabou levando seus filhos a desvendar o insólito romance do pai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.