Militante de esquerda é assassinado no sul das Filipinas

Um ativista do grupo Kilusang Mambubukid ng Pilipinas (Movimento de Camponeses das Filipinas) foi assassinado neste sábado na província de Misamis Ocidental, no oeste da ilha de Mindanao, no sul do país, informou a imprensa local.Tito Marata, assessor de imprensa do movimento, morreu no sábado na cidade de Oroquieta ao ser atingido por disparos efetuados por um homem que estava em uma moto, afirmou um porta-voz do grupo ao jornal "Philippine Daily Inquirer".Com a morte de Marata, chega a 273 o número de militantes de esquerda assassinados desde a posse da presidente Gloria Macapagal Arroyo, em 2001, segundo dados da organização de direitos humanos Karapatan.Os grupos de esquerda e organizações de direitos humanos que atuam nas Filipinas atribuem a maioria destas mortes e desaparecimentos a elementos dos corpos de segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.