Militante é morto na Indonésia após apunhalar dois policiais

Ataque foi o segundo contra a polícia em uma semana

O Estado de S.Paulo

01 Julho 2017 | 04h34

JACARTA - A polícia nacional da Indonésia matou na noite de sexta-feira, 30, um suposto militante após ele ter apunhalado dois policiais dentro de uma mesquita próxima a uma delegacia central em Jacarta menos de uma semana depois de um ataque islâmico contra as forças de segurança. 

O atacante acabava de orar com vários policiais e outros fiéis quando apunhalou dois agentes e gritou "infiel", disse o porta-voz da polícia nacional, Rikwanto, cujo nome, assim como o de muitos indonésios, é formado por apenas uma palavra. 

"Ele insistiu em nos atacar com uma arma e depois de dispararmos tiros de advertência, ele foi abatido", declarou Rikwanto. 

Os dois oficiais de polícia foram apunhalados no pescoço e no rosto e foram atendidos em um hospital local. O motivo e a identidade do homem ainda estão sendo estudadas. 

Desde janeiro de 2016, a Indonésia tem vivido uma série de ataques menores organizados por simpatizantes do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), em sua maioria contra a polícia. 

O ataque deste sábado foi o segundo contra a polícia em uma semana. No último domingo, dois supostos militantes do EI atacaram a delegacia central de polícia da província de Sumatra Setentrional, matando um agente. Em maio, três policiais foram mortos em um duplo atentado suicida em um terminal de ônibus de Jacarta. / EFE

Mais conteúdo sobre:
IndonésiaEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.