Militante morto pela polícia saudita levava carta de Bin Laden

Um suposto militante islâmico morto pela polícia saudita na semana passada levava uma carta de seis meses atrás supostamente assinada pelo líder extremista Osama binLaden, informou nesta terça-feira um jornal local.O suspeito morto na ação policial foi identificado como Yosif Salih Fahd Ala´yeeri, um dos 19 militantes procurados por supostos laços com a organização Al-Qaeda, liderada por Bin Laden, um milionário saudita no exílio.Os policiais vasculharam as roupas do suspeito depois de omatarem em meio a uma perseguição, informou o jornal saudita Al-Watan, citando fontes "bem informadas".As fontes garantiram que "uma carta fechada escrita à mão,manchada de sangue e com o nome Bin Laden assinado foiencontrada num bolso do suspeito", publicou o jornal.Não foi possível ler o nome do destinatário porque a cartaestava manchada pelo sangue de Ala´yeeri, segundo o Al-Watan.Ainda de acordo com o jornal, os policiais passaram horastentando desativar os explosivos atados ao corpo do suspeito.Ele levava quatro documentos de identificação, uma carteira de motorista que não pertencia a ele e um aparelho deposicionamento global, prosseguia a reportagem.Autoridades sauditas não foram encontradas para confirmar os relatos. Também não havia forma independente de averiguar se a carta foi realmente escrita por Bin Laden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.