Militante nega missão de preparar ato terrorista

Um homem franco-argelino detido na França deu às autoridades descrições detalhadas sobre seu recrutamento por Osama bin Laden no Afeganistão para um atentado suicida contra a Embaixada dos Estados Unidos em Paris. As revelações de Djamel Beghal, feitas durante interrogatório em Dubai no mês passado, levaram as autoridades a prender diversos suspeitos de um suposto amplo complô contra alvos norte-americanos na Europa, disse uma fonte sob condição de não ser identificada. Porém, em 11 horas de interrogatório na última segunda-feira em Paris, Beghal retirou algumas de suas declarações anteriores sobre o plano, disse à Associated Press o advogado de defesa Fabrice Dubest. "Ele nega formalmente ter recebido a missão de preparar atos terroristas na França contra a Embaixada dos Estados Unidos", declarou Dubest. Mais tarde, fontes do poder judiciário que anteriormente afirmaram que ele contou a mesma história em Paris disseram ter cometido um engano. No entanto, funcionários disseram que ainda levam muito a sério as declarações feitas por Beghal em Dubai. "Na audiência de segunda-feira, Beghal não deu o alvo preciso, mas nunca negou que ataques teriam sido planejados", disse um funcionário. O juiz antiterrorismo francês Jean-Louis Bruguière, encarregado das investigações, abriu o processo sobre supostos planos de ataque contra a embaixada norte-americana em Paris no dia 10 de setembro, um dia antes dos ataques contra Nova York e Washington. Ainda não se sabe se o atual caso possui ligação com os ataques de 11 de setembro. Por enquanto, as autoridades francesas não relacionam os dois casos.

Agencia Estado,

02 Outubro 2001 | 22h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.