Militante palestino é morto em ataque aéreo em Gaza

Um militante dos Comitês Populares da Resistência palestina morreu nesta sexta-feira em um ataque aéreo israelense quando viajava em um veículo na Cidade de Gaza, informaram fontes palestinas. As fontes relataram que aviões da Força Aérea israelense lançaram pelo menos um míssil contra o carro no qual viajava o militante, que foi identificado como Abu Yusuf al-Guga. Al-Guga era comandante dos Comitês Populares da Resistência, milícia responsável por vários ataques com foguetes rudimentares contra o território de Israel. As fontes indicaram que o ativista já foi membro de grupos vinculados à Fatah, mas decidiu separar-se deste grupo e somar-se aos Comitês Populares de Resistência, uma organização integrada por ex-membros de outras facções armadas e militantes independentes. A explosão registrada nesta sexta-feira em Gaza segue o ataque suicida que aconteceu na última quinta-feira à noite por um palestino vinculado a uma das facções armadas ligadas à Fatah, no norte da Cisjordânia, e que custou a vida de quatro israelenses. Além disso, o exército israelense lançou na madrugada desta sexta-feira uma série de ataques aéreos contra acessos e áreas do norte da Faixa de Gaza, de onde milicianos costumam disparar foguetes Qassam contra o território israelense. Um desses foguetes foi lançado nesta manhã contra o sul do território israelense, sem deixar feridos ou causar danos materiais relevantes. Israel nega Apesar das acusações, o exército israelense negou qualquer relação com a explosão que matou Al-Guga. Fontes militares israelenses que averiguaram a explosão confirmaram à EFE que Israel "não tem nenhuma relação com o fato". O porta-voz dos Comitês Populares da Resistência, Abu Abir, informou a meios de comunicação em Gaza que Al-Guga morreu por causa do ataque de um avião não-pilotado da Força Aérea israelense. Abir acrescentou que pouco depois da explosão ouviu-se o som do avião israelense sobre o bairro Al Nasser e que "dezenas de pessoas correram em direção ao veículo incendiado". O chefe das equipes de emergência do Ministério palestino de Saúde, Mouawiya Hasanein, confirmou que o veículo incendiado pertencia a Al-Guga e que havia um número indeterminado de pessoas feridas pela explosão.

Agencia Estado,

31 Março 2006 | 12h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.