Militante palestino morre em confronto em Jericó

Soldados israelenses a bordo de jipes e um tanque blindado entraram hoje pela primeira vez em vários meses na cidade bíblica de Jericó, matando pelo menos um militante palestino armado e forçando vários residentes apermanecerem em seus casas no início das festividades muçulmanasde Eid al-Adha.Fontes militares, que falaram na condição de anonimato,disseram que as tropas haviam ingressado na cidade para efetuaruma operação limitada com o objetivo de prender fugitivos queplanejavam um ataque contra Israel. Os informantes contaram que os soldados haviam cercado uma casa onde se escondia um número não determinado de militantes. As forças de segurança israelenses foram atacadas váriasvezes e responderam com disparos, disseram as fontes.Dois militantes islâmicos ficaram feridos e foram levados aum hospital, e um terceiro morreu. O Exército informou que quatro militantes foram detidos. A ação israelense ocorre num momento em que o governo reivindica um maior apoio internacional a sua posição de que um tribunal internacional não tem autoridade para decidir a legalidade do muro que está sendo construído na Cisjordânia. Por volta do meio-dia, a situação em Jericó havia voltado ao normal, segundo testemunhas. O Exército, no entanto, indicou que ainda espionava casas à procura de militantes.Jericó tem permanecido quase que à margem do conflito entreisraelenses e palestinos, e a maior parte das prisões no local érealizada sem que os soldados efetuem disparos. As autoridades palestinas identificaram o homem morto como Shadi Jaradat, membro das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, da cidade de Jenin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.