Militante radical é achado nos escombros de hotel na Indonésia

A polícia da Indonésia disse nesta sexta-feira que encontrou nos escombros do Hotel Marriott, alvo de um carro-bomba há três dias, em Jacarta, a cabeça de um suposto suicida recrutado pelo grupo radical islâmico Jemaah Islamiyah. Segundo o detetive Erwin Mappaseng, dois membros do grupo extremista que estão presos identificaram em uma foto o rosto de Asmar Latin Sami, de 28 anos. ?Os dois extremistas e o irmão de Sami o identificaram por causa de uma cicatriz na pálpebra esquerda?, comentou Mappaseng. Os membros do grupo islâmico, identificados como Sardono Siliwangi e Mohammad Rais, foram presos em junho acusados de envolvimento em atentados e assaltos em Sumatra, no oeste da Indonésia. Com essa nova descoberta, a polícia indonésia reafirmou que o atentado ao hotel, que matou dez pessoas, deve ter sido patrocinado pela Jemaah Islamiyah. A primeira suspeita aconteceu depois da identificação dos explosivos utilizados no atentado. Segundo os peritos, os mesmos usados no atentado contra dois clubes noturnos em Bali, em outubro do ano passado. O Jemaah Islamiyah assumiu a autoria dos atentados a Bali, onde 202 pessoas morreram. O ataque ao Hotel Marriott aconteceu dias antes de Amrozi bin Nurhasyim, acusado de ser o mentor do atentado a Bali, ter sido condenado à morte por um tribunal da Indonésia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.