Militantes atacam duas cidades do norte da Nigéria e um caça da Força Aérea

Insurgentes islâmicos atacaram duas capitais estaduais do norte da Nigéria nesta segunda-feira, atingindo um posto da polícia e desencadeando explosões em um mercado que mataram pelo menos cinco pessoas, disseram testemunhas.

REUTERS

01 de dezembro de 2014 | 19h15

Os Estados de Yobe, Borno e Adamawa, no nordeste nigeriano, têm sido os alvos principais dos militantes do Boko Haram, que há cinco anos lutam para estabelecer um Estado islâmico radical no país mais populoso da África e o maior produtor de petróleo do continente.

Os insurgentes atacaram Damaturu, capital de Yobe, ao amanhecer, incendiando uma estação móvel da polícia e disparando contra um caça da Força Aérea que circundava suas forças e soltava bombas, segundo as testemunhas.

O comissário da polícia estadual de Yobe, Marcus Danladi, disse que os militantes causaram “grande dano às formações de segurança na cidade, incluindo a base móvel da polícia”.

No final da tarde, o governador do Estado declarou que os militares conseguiram repelir os militantes de Damaturu com forças terrestres e aéreas.

Em Maiduguri, capital de Borno, duas explosões aconteceram próximo do meio-dia em um mercado lotado. Uma fonte de um hospital afirmou que cinco corpos foram conduzidos ao local, além de 43 feridos.

Um estudante da Universidade Estadual de Yobe disse que o principal edifício administrativo do campus foi bombardeado por militantes em motocicletas e uma picape.

Os moradores de Damaturu fugiram ou se esconderam enquanto os agressores avançavam sobre a cidade disparando suas armas e gritando “Allahu Akba” (Deus é o maior), relataram pessoas presentes à cena à Reuters.

“Vi um caça militar circundando três vezes. As pessoas abandonaram seus veículos na rua e foram para casa”, disse Mustapha Usman, morador de Damaturu, durante a manhã.

(Por Joe Hemba e Lanre Ola)

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIAMILITANTESATAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.