Militantes capturam mais de 100 soldados no Paquistão

Centenas de ativistas islâmicos emboscaram comboio militar; ainda não há notícias sobre feridos

Agência Estado e Associated Press,

30 de agosto de 2007 | 16h31

Centenas de militantes islâmicos emboscaram um comboio militar numa conturbada província do noroeste do Paquistão e seqüestraram mais de 100 soldados, disseram oficiais. Militantes pró-Taleban disseram ter seqüestrado os soldados porque o governo do Paquistão não estava honrando um recente acordo de paz.  Ex-premiê anuncia retorno ao Paquistão após exílio  Os soldados viajavam em 16 caminhões e ofereciam segurança para um carregamento de alimentos entre Wana, a principal cidade do Waziristão do Sul, e Ladha, outro município da região, que faz fronteira com o Afeganistão, informaram dois oficiais de inteligência que exigiram anonimato. Eles calculam que entre 100 e 120 soldados foram capturados. Não havia indício de que houve combates entre os militantes e os soldados, e não há notícias de feridos. O incidente ocorreu dois dias depois que 18 soldados paquistaneses foram soltos na região por militantes islâmicos depois de um acordo acertado com líderes tribais. Segundo militantes, o exército havia prometido suspender suas operações na região. Um porta-voz do líder rebelde islâmico Baitullah Mehsud disse à rede BBC de Londres que seus militantes capturaram nesta quinta os soldados para protestar contra o não cumprimento do acordo. "Menos de 48 horas depois eles voltaram com suas operações", afirmou o porta-voz. A violência vive uma escalada na região nos últimos meses, apesar de diversos acordos de paz acertados entre rebeldes e o governo.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.