Jossy Ola/AP
Jossy Ola/AP

Militantes do Boko Haram se disfarçam de fiéis e matam 24 na Nigéria

Os agressores chegaram em carros e reuniram pessoas em uma mesquita na remota vila de Kwajafa fingindo que fariam uma pregação islâmica

O Estado de S. Paulo

06 de abril de 2015 | 12h59

ABUJA - Militantes do grupo islâmico Boko Haram se disfarçaram de fiéis e mataram pelo menos 24 pessoas, além de ferir várias outras, em um ataque perto de uma mesquita no Estado de Borno, nordeste da Nigéria, disseram testemunhas e uma fonte militar nesta segunda-feira, 6.

Na noite de domingo, os agressores chegaram em carros e reuniram pessoas em uma mesquita na remota vila de Kwajafa fingindo que fariam uma pregação islâmica. Eles então abriram fogo contra as pessoas, disse a testemunha Simeon Buba.

O grupo insurgente, criado há seis anos, e a falha do presidente Goodluck Jonathan em combatê-lo ou proteger os civis foram fatores na vitória do candidato opositor Muhammadu Buhari nas eleições presidenciais na última semana. 

O Boko Haram, que luta para impor um Estado islâmico no país, já matou milhares e sequestrou centenas, apesar das operações militares contra ele conduzidas pela Nigéria e pelos vizinhos Chad, Camarões e Níger nos últimos dois meses, que conseguiram retomar muito do território controlado pela milícia. 

"As pessoas não sabiam que os homens do Boko Haram atacariam porque mentiram que eram pregadores", relatou Buba, em entrevista à agência Reuters. "Eles abriram fogo contra eles e mataram muitos", disse, acrescentando que os insurgentes atearam fogo nas casas após o ataque. Muitos sobreviventes estão sendo tratados por ferimentos por tiro e queimaduras nos hospitais na cidade de Biu, em Borno.   / REUTERS  

Tudo o que sabemos sobre:
NigériaBoko Haram

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.