Militantes do Sendero Luminoso matam três no Peru

Três policiais foram mortos após serem atacados por supostos insurgentes do grupo maoista Sendero Luminoso. Em outra operação policial, os agentes detiveram um possível comandante dos extremistas, informou hoje o diretor da Polícia Nacional do Peru, o general Raúl Becerra. Segundo ele, os policiais foram atacados quando voltavam do atendimento a uma emergência na localidade de Kiteni, no departamento de Cuzco, a 370 quilômetros ao sudeste de Lima.

AE, Agência Estado

30 de dezembro de 2010 | 18h45

O ataque aconteceu perto da região do vale do rio Apurímac-Ene, uma área produtora de coca e onde as autoridades afirmam que remanescentes do Sendero se aliaram com narcotraficantes nos últimos anos. "Agora, enviamos um grande número de policiais para investigar a capturar esses delinquentes", disse Becerra.

Na véspera, forças policiais peruanas capturaram Mario Sifuentes Sandoval, de codinome "camarada Sérgio", quem as autoridades afirmam ser o segundo na hierarquia do grupo maoista, atrás apenas do "camarada Artêmio", que opera na margem direita do rio Huallaga.

Becerra disse que Sifuentes é "sanguinário". "Camarada Sérgio" foi apresentado algemado à imprensa de Lima. Ele foi o terceiro líder insurgente capturado em 2010.

A guerrilha do Sendero aterrorizou o Peru de 1980 até 1992, quando o fundador e ideólogo do grupo, Abimael Guzmán, foi preso. Desde então, o grupo ficou reduzido a remanescentes que operam na selva e nos Andes, onde teriam se aliado ao narcotráfico. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.