Militantes egípcios assumem responsabilidade por ataques em Sinai

Um grupo islamista radical assumiu neste domingo a responsabilidade por dois ataques duicidas que mataram um soldado e feriram pelo menos oito outras pessoas perto da cidade turística egípcia de Sharm El-Sheikh na sexta-feira.

Reuters

04 Maio 2014 | 09h29

Ansar Bayt al-Maqdis, o mais ativo dos grupos militantes no levante contra o governo apoiado pelo exército desde que depôs o líder eleito Mohamed Mursi no ano passado, fez a afirmação em comunicado publicado na internet.

"Anunciamos nossa responsabilidade pelos ataques que miraram um ponto de controle de segurança e um ônibus turístico no sul do Sinai", trouxe o comunicado. "Não descansaremos... até vingarmos o sangue e a honra dos muçulmanos".

Ataques militantes e outros tipos de violência política se intensificaram desde que o exército derrubou Mursi em julho passado após protestos massivos contra seu governo.

(Reportagem de Stephen Kalin)

Mais conteúdo sobre:
EGITO SINAI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.