BP/AP
BP/AP

Militantes islamitas do Mali sequestram 8 estrangeiros na Argélia

Baço da Al-Qaeda no norte da África tem agido no norte da Argélia mas nunca havia atacado um campo de petróleo ou gás

AE, Agência Estado

16 de janeiro de 2013 | 10h53

ARGEL - Militantes islamitas do Mali atacaram um campo de gás natural, operado pela British Petroleum (BP), no sul da Argélia nesta quarta-feira, 16. Os agressores mataram um agente de segurança e sequestraram oito pessoas, incluindo um cidadão britânico, um norueguês e um japonês, segundo a mídia local e autoridades.

No entanto, as forças argelinas conseguiram cercar os sequestradores e negociações estão ocorrendo para a libertação dos reféns, disse uma fonte, que preferiu não se identificar.

A agência estatal de notícias da Argélia disse que um guarda foi morto durante o ataque e sete outros ficaram feridos, incluindo dois estrangeiros.

O ministério de Relações Exteriores do Reino Unido confirmou que "um incidente terrorista está ocorrendo" próximo ao campo de gás natural em Ain Amenas, a 100 quilômetros da fronteira com a Líbia e 1,3 mil quilômetros da capital do país, Argel. O órgão britânico não confirmou se algum cidadão do Reino Unido está envolvido no incidente.

A BP, junto com a empresa norueguesa Statoil e a estatal argelina Sonatrach, operam o campo. A JGC Corp, do Japão, também realiza serviços no local. A Statoil confirmou o ataque, acrescentando que possui 20 empregados no campo. Em um comunicado, a BP também confirmou que houve "um incidente de segurança nesta manhã" em Ain Amenas.

O braço da Al-Qaeda no norte da África tem agido no norte da Argélia e, ocasionalmente, no sul do deserto, mas nunca havia atacado um campo de petróleo ou de gás.

As informações são da Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
ArgéliaMaliAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.