Militantes ordenam mutilação genital feminina no Iraque, diz ONU

"Isso é algo muito novo para o Iraque, particularmente nesta área, e é uma grave preocupação e precisa ser tratada", declarou coordenadora residente e humanitária da ONU no Iraque

REUTERS

24 Julho 2014 | 11h45

O grupo militante Estado Islâmico ordenou que todas as garotas e mulheres na cidade de Mosul, norte do Iraque, e nos arredores sejam submetidas ao processo de mutilação genital feminina, disse a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta quinta-feira.

O “fatwa" declarado pelos combatentes sunitas muçulmanos afetaria potencialmente 4 milhões de mulheres e garotas, disse a coordenadora residente e humanitária da ONU no Iraque, Jacqueline Badcock, a repórteres em Genebra por videoconferência a partir de Arbil (Iraque).

"Isso é algo muito novo para o Iraque, particularmente nesta área, e é uma grave preocupação e precisa ser tratada”, disse.

“Esta não é a vontade do povo iraquiano, ou das mulheres do Iraque nestas áreas vulneráveis cobertas pelos terroristas”, acrescentou.

Nenhum representante do Estado Islâmico estava disponível para comentar o assunto.

(Por Stephanie Nebehay)

Mais conteúdo sobre:
ONU IRAQUE MUTILACAO GENITAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.