Militantes pedem agências humanitárias na Somália

O grupo militante mais perigoso da Somália, o al-Shabab, disse que pode permitir a volta de agências humanitárias aos territórios que controla, tendo em vista a fome e a seca que atingem o país. O xeque Ali Mohamud Rage, porta-voz do al-Shabab, afirmou na noite de ontem que o grupo quer a abertura de diálogo com agências humanitárias para negociar seu retorno. Rage disse que o único objetivo dos grupos de ajuda deve ser ajudar os necessitados.

AE, Agência Estado

06 de julho de 2011 | 18h48

Em 2009, o al-Shabab iniciou a proibição às agências, temendo que os grupos pudessem abrigar espiões ou promover um modo de vida não islâmico. Mas nas últimas semanas, dezenas de milhares de somalis fugiram de áreas controladas por militantes por causa da falta de comida. Uma forte seca está provocando a morte de animais e agências humanitárias alertam para um desastre iminente. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.