Militantes pedem que Exército derrube Musharraf

Exortando o Exército a derrubar o presidente general Pervez Musharraf, milhares de militantes islâmicos promoveram uma passeata hoje nesta cidade do noroeste do Paquistão para protestar contra o apoio do governo à campanha militar dos Estados Unidos no Afeganistão. "Musharraf é um risco para o Paquistão", disse o clérigo islâmico Qazi Hussain Ahmad para a multidão de umas 10.000 pessoas, muitas delas pashtuns, o maior grupo étnico do vizinho Afeganistão. Qazi afirmou que Musharraf - um general do Exército que tomou o poder em 1999 - deveria ser deposto. "Quanto mais cedo melhor", disse o clérigo. O protesto em Marden foi o maior entre diversos realizados no Paquistão nesta sexta-feira, o dia sagrado muçulmano e que vem sendo normalmente usado a promoção de manifestações pró-Taleban e contra os EUA. Protestos menores ocorreram em Lahore, Karachi e Quetta. Musharraf tem apoiado a campanha militar liderada pelos EUA, e permitido que americanos usem bases paquistanesas para o que o governo diz ser apoio logístico. A esmagadora maioria dos 145 milhões de paquistaneses é muçulmana, e manifestações anti-EUA têm atraído um número relativamente pequeno de pessoas. Entretanto, militantes islâmicos prometem intensificar os protestos contra Musharraf e dizem que vão lançar uma campanha nacional de desobediência civil em 9 de novembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.