Militantes somalis matam pelo menos 10 pessoas com carro-bomba em restaurante

Um militante do grupo somali Al Shabaab acelerou um carro repleto de explosivos na direção de um restaurante movimentado na capital Mogadício nesta terça-feira, matando pelo menos 10 pessoas e deixando mais de uma dúzia de feridos.

REUTERS

21 de abril de 2015 | 12h28

O ataque suicida, ocorrido na hora do almoço, ainda danificou uma casa de chá ao lado e incendiou barris de petróleo nas proximidades, com a explosão criando uma densa nuvem de fumaça sobre a cidade portuária.

O atentado aconteceu um dia depois de um homem-bomba do Al Shabaab ter matado seis pessoas, incluindo quatro funcionários da Organização das Nações Unidas (ONU), durante um ataque a uma minivan da ONU em Garowe, cidade que fica cerca de mil quilômetros ao nordeste de Mogadício.

Ligado à Al Qaeda, o Al Shabaab já realizou uma série de atentados na Somália e em países vizinhos com o objetivo de impor uma versão rígida do islamismo e depor o governo somali, que é apoiado por doadores ocidentais e tropas pacificadoras da África.

"Estamos por trás do ataque", declarou Sheikh Abdiasis Abu Musab, porta-voz de operações militares do Al Shabaab, à Reuters.

Musab afirmou ter visado autoridades de ministérios do governo e do palácio presidencial que frequentam o restaurante.

(Reportagem de Feisal Omar and Abdi Sheikh)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALSOMALIAATAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.