Militantes somalis postam foto de soldado francês morto

Militantes somalis do grupo Al-Shabab, divulgaram, em sua conta do Twitter, fotografias do que parece ser um soldado francês morto. As imagens mostram um homem branco usando calças militares e uma camisa ensopada de sangue, cercado por três armas, munição e equipamentos de proteção. Um capacete é visto em meio às pernas do militar.

AE, Agência Estado

14 de janeiro de 2013 | 13h34

Em cada uma das duas fotografias, é visível uma cruz prateada presa a uma corrente no pescoço do soldado. Na mensagem publicada, o grupo diz houve "um retorno dos cruzados, mas a cruz não pôde salvá-lo da espada". O Al-Shabab é o grupo ligado à Al-Qaeda que controla a maior parte do sul da Somália.

Uma das mensagens também provoca o presidente da França, perguntando: "François Hollande, valeu a pena?"

O soldado foi morto durante uma ação militar desastrosa realizada na manhã de sábado, para resgatar um membro da inteligência francesa, mantido pelo Al-Shabab desde julho de 2009.

O ministro da Defesa francês, Jean-Yves Le Drian, declarou nesta segunda-feira que provavelmente dois militares foram mortos durante a ação. A França acredita que o refém, cujo codinome é Denis Allex, também tenha sido morto, embora o Al-Shabab afirme que ele está vivo.

Além da mensagem no Twitter, o Al-Shabab divulgou um comunicado mais longo, no qual diz que a operação resultou nas mortes de vários militares franceses e deixou "muitos" feridos. Os militantes disseram que o comandante que liderou a operação está entre os feridos e que "grupos paramédicos" do Al-Shabab o transferiram para um hospital, onde ele morreu.

O grupo afirmou também que havia chegado a uma decisão sobre o destino de Allex e que ela será anunciada nas próximas horas.

Comandos franceses, transportados por helicópteros, atacaram posições do Al-Shabab na manhã de sábado, numa tentativa de libertar Allex. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Somáliaataquefrancês

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.