Militantes sunitas capturam cidade no norte do Iraque

Militantes sunitas tomaram na manhã desta segunda-feira Tal Afar, no norte do Iraque, cidade que fica ao longo da estrada que leva à Síria, agravando os problemas já enfrentados pelo governo de maioria xiita uma semana depois de integrantes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) terem capturado uma grande porção da parte norte do país.

Agência Estado

16 de junho de 2014 | 11h01

Tal Afar, que tem cerca de 200 mil habitantes, foi tomada durante a madrugada, informou o prefeito Abdulal Abdoul à Associated Press. A composição da população, uma mistura de xiitas étnicos e turcomenos sunitas, eleva a possibilidade de atrocidades em larga escala cometidas por militantes sunitas do EILL, que já assumiram o assassinato de centenas de xiitas em áreas tomadas na semana passada.

A captura de Tal Afar acontece uma semana depois de os militantes sunitas terem tomado a segunda maior cidade do país, Mosul, e a cidade natal de Saddam Hussein, Tikrit, numa ofensiva surpresa que jogou o Iraque em sua pior crise desde a retirada das tropas norte-americanas do país em 2011.

Um morador de Tal Afar, que fica 420 quilômetros a noroeste de Bagdá, confirmou a queda da cidade e disse, por telefone, que os militantes em picapes com metralhadoras e bandeiras negras da jihad perambulavam pelas ruas, enquanto tiros podiam ser ouvidos.

As forças de segurança da cidade saíram antes do amanhecer, informou Hadeer al-Abadi, que falou com a AP quando se preparava para deixar a cidade com sua família. Integrantes de tribos locais que lutaram contra os militantes, acabaram por se render a eles, disse Al-Abadi. "Os moradores estão tomados pelo medo e a maioria deles já deixou a cidade e foi para áreas onde estão forças de segurança curdas", afirmou o morador.

Outro morador, Haidar al-Taie, disse que um avião estavam lançando bombas barril contra posições de militantes no interior da cidade na manhã desta segunda-feira e que muitas famílias xiitas haviam saído do local no domingo, pouco depois do início dos confrontos.

O EIIL havia prometido marchar sobre Bagdá, mas a capital, que tem 7 milhões de habitantes, não está sob risco imediato de cair nas mãos dos militantes sunitas, embora uma série de bombardeios tenham matado 19 pessoas e ferido mais de 40 no domingo. A segurança foi intensificada em toda a cidade, particularmente nas partes norte e oeste. A situação fez com que os preços dos alimentos registrassem forte alta em razão da interrupção de uma estrada que sai da capital em direção ao norte do país. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueTal Afarmilitantessunitas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.