Militar acusado de espionagem em Guantánamo

O porta-voz do Pentágono, major Michael Shavers, informou que o soldado Ahmad al-Halabi, da Força Aérea dos EUA, foi preso e está sendo acusado de espionagem e de "ajuda ao inimigo". Al-Halabi trabalhava como intérprete para os suspeitos de terrorismo e de pertencerem ao Taleban que estão presos na base militar norte-americana de Guantánamo, em Cuba.Segundo o Pentágono, pesam contra ele nove acusações de espionagem, três de ajudar o inimigo, 11 de desobediência e nove de fazer declarações falsas. Al-Halabi foi preso em 23 de julho e levado para a base aérea Vandenberg, na Califórnia.O anúncio das acusações contra ele foi feito um dia depois de anunciada a prisão do capelão militar muçulmano James Yee, do Exército, também sob acusações de espionagem. Yee, que prestava aconselhamento espiritual aos prisioneiros de Guantánamo (a maioria deles capturada no Afeganistão), está preso em uma unidade da Marinha em Charleston (Carolina do Sul).De acordo com a emissora MSNBC, outras três pessoas foram detidas na mesma investigação, sendo uma da Marinha, uma do Exército e um funcionário de uma empresa que presta serviços aos militares em Guantánamo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.