Militar americano acusado de estupro no Japão

Informando possuir testemunhas confiáveis e fortes evidências materiais, a polícia japonesa recebeu hoje um mandado de prisão sem precedentes contra um sargento da Força Aérea dos Estados Unidos suspeito de estuprar uma mulher da ilha de Okinawa encostado em um carro numa área turística da ilha.O caso fez renovar a insatisfação dos moradores locais com a grande presença de soldados norte-americanos nesta ilha no sul do Japão, que durante décadas representou um importante posto avançado dos Estados Unidos no Pacífico, mas sempre incomodou os residentes. As acusações de estupro são dolorosamente familiares. Há apenas seis anos, a violação sexual de uma estudante de 12 anos por três soldados norte-americanos gerou enormes manifestações contra a conduta dos 26.000 militares estacionados na região.Apesar de os ânimos não terem se exaltado tanto quanto em 1995, líderes locais preparavam uma declaração formal de protesto e as autoridades competentes da cidade onde ocorreu o crime tentariam impor um toque de recolher aos soldados. A polícia identificou o suspeito como Timothy B. Woodland, um sargento de 24 anos estacionado na Base Aérea de Kadena. Sua cidade natal não foi informada.De acordo com a polícia, a vítima - uma mulher de Okinawa com pouco mais de 20 anos - foi intimidada e estuprada por Woodland por volta das 2h locais da última sexta-feira depois de ter passado a noite bebendo com algumas amigas em uma casa noturna da American Village, uma área turística famosa na região por seus bares e lojas.Policiais comentaram que ela foi prensada contra um carro dentro de um estacionamento e estuprada. Diversos outros norte-americanos estiveram no local, mas não são suspeitos de nenhum delito e poderiam ter tentado evitar o crime. "Estamos encarando este fato como crime de um único suspeito", disse Koshin Iraha, chefe de polícia da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.