Procuradoria do Havaí/FBI/Divulgação/via AP
Procuradoria do Havaí/FBI/Divulgação/via AP

Militar americano é indiciado por ligação com o Estado Islâmico

Defesa do soldado vai alegar que ele voltou do Afeganistão com problemas psiquiátricos

AP, O Estado de S.Paulo

22 Julho 2017 | 01h51

HONOLULU – A Justiça federal no Havaí indiciou, nesta sexta-feira, 21, um soldado norte-americano suspeito de fornecer material de apoio ao grupo extremista Estado Islâmico. O primeiro-sargento Ikaika Kang foi preso no dia 8 de julho pela SWAT, do FBI, sem possibilidade de fiança.

Kang será ouvido em tribunal, em uma audiência preliminar, na próxima segunda-feira, 24. O advogado dele, Birney Bervar, disse à agência Associated Press que o indiciamento já era apresentado.

“Não temos uma audiência preliminar no tribunal daqui há 25 anos”, afirmou. “Eles não gostam de nos deixar questionar as testemunhas de acusação.”

Bervar disse que seu cliente vai alegar inocência na segunda-feira, quando um juiz federal deve determinar a data do julgamento. Ele ainda destacou que deve pedir uma avaliação mental de Kang e alegar que ele pode sofrer de questões psiquiátricas relacionadas ao trabalho.

A origem do desequilíbrio emocional do soldado teria se originado em 2011, Segundo o advogado. “Ele era um soldado condecorado havia 10 anos, foi mandado ao Afeganistão, voltou e as coisas começaram a sair dos trilhos”, relatou.

Elliot Enoki, promotor de Justiça do distrito do Havaí, e Dana Boente, procuradora-geral em exercício, anunciaram o indiciamento em comunicado na noite desta sexta. Kang é acusado de tentar fornecer apoio material ao grupo Estado Islâmico e de repassar documentos militares sigilosos.

O FBI afirmou que Kang planejava iniciar um tiroteio após assumir culpa no caso. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.