Militar inglês recusou lutar no Iraque por medo do inferno

Um muçulmano reservista da Força Aérea Real da Grã-Bretanha contou a um tribunal militar nesta sexta-feira a razão pela qual se recusou a servir no Iraque: medo de ir para o inferno. Mohisin Khan, 24 anos, apelou da decisão da força aérea britânica de multá-lo por não se apresentar em fevereiro e março para ir lutar no Iraque. Ele disse ao tribunal militar da base Uxbridge, em Londres, que sua fé o levou a concluir que a guerra contra o regime de Saddam Hussein era injustificada. ?Como muçulmano, você não tem permissão para lutar com alguém a menos que seja para auto-defesa?, disse ele. ?Não achei que aquela fosse uma guerra correta para lutar porque não estávamos nos defendendo. É pos isso que, como um muçulmano, se eu tomasse parte naquele conflito seria julgado por isso por Alá, o criador?, disse Khan. ?Está dito no Corão que as pessoas vão para o inferno. Isto teve um grande efeito sobre mim, porque ninguém quer ir para o inferno?. Khan entrou na Força Aérea Real como assistente de médico em dezembro de 1999, mas saiu da corporação em abril de 2001, reclamando que era designado apenas para trabalho de secretariado. Ele ganhou uma aposentadoria especial precoce, coma condição de que ficasse como reservista durante seis anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.