Militar iraquiano critica relatório da ONU

Um militar iraquiano de alta patente sustentou nesta terça-feira que o Iraque não possui nenhuma arma proibida e comentou que as críticas dos inspetores de armas da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a cooperação de Bagdá não são condizentes com os fatos."Antes de tudo, eu gostaria de dizer que o Iraque está livre de toda e qualquer arma de destruição em massa desde o fim de 1991 e todas as inspeções comprovam isto", disse a jornalistas o general Amir Rashid.Na primeira resposta detalhada do Iraque aos relatórios apresentados ontem por Hans Blix e Mohamed el-Baradei aoConselho de Segurança (CS) da ONU, Rashid disse que os comentários dos chefes dos inspetores de armas "não são condizentes com os fatos".Rashid destacou que os relatórios não mencionam que asinspeções não corroboraram as acusações dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha sobre as armas de destruição em massa supostamente mantidas pelo Iraque."Nós vemos, por exemplo, que foram amplificados alguns fatosconsiderados problemáticos", comentou. Isto cria, segundo ele,"um impacto um pouco negativo" sobre os diplomatas doconselho.Rashid recordou ainda que os serviços secretos norte-americanoe britânico apontaram no fim do ano passado locais onde o Iraqueestaria conduzindo trabalhos ilegais para a produção de armas dedestruição em massa.No entanto, os inspetores de armas da ONU visitaram esseslocais em diversas ocasiões durante os últimos dois meses e nãoreportaram nenhuma violação às resoluções da entidade.Segundo Rashid, o Iraque esperava que Blix e El-Baradeicomunicassem ao Conselho de Segurança que "as informaçõesfornecidas pela Casa Branca e pelo governo britânico provaram-se totalmente falsas e infundadas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.